Capacitor Eletrolítico 100uF 16V para Projetos

> SKU: CP16

R$0,80

Fora de estoque

Descrição

O Capacitor Eletrolítico 100uF 16V trata-se de um componente eletrônico aplicado comumente em placas de circuito impresso como filtro, sendo capaz de armazenar energia em um campo elétrico, acumulando internamente um desequilíbrio de carga elétrica.

 

Capacitor Eletrolítico 100uF 16V para Projetos

 

Internamente o Capacitor Eletrolítico 100uF 16V é composto por duas lâminas de alumínio, as quais são afastadas por uma camada de óxido de alumínio, possuindo mais alguns compostos em sua formulação.
É possível também encontrar o Capacitor Eletrolítico integrado em fontes de energia, onde é responsável por suavizar a saída de uma onda retificada completa ou mesmo uma meia onda.
O principal está em seu formato cilíndrico, no entanto, também se diferencia por ser polarizado, devendo ser ligado corretamente o terminal negativo (menor) e positivo (maior).
É importante destacar que a inversão da polaridade vai acarretar em danos ao Capacitor, fazendo-o entrar em curto-circuito, o que pode levar ao rompimento da carcaça.

 

Características

  • Componente eletrônico;
  • Kit com 10 unidades;
  • Capacitor polarizado;
  • Terminal maior é positivo;
  • Terminal menor é negativo;
  • Ideal para placas de circuito impresso.
  • Tensão: 16V;
  • Capacitância: 100uF (100mF);
  • Temperatura máxima de operação: 105ºC;
  • Diâmetro: 6,4mm;
  • Altura: 7,3mm (ignorando-se os terminais);
  • Peso: 0,4g;

 

Acompanha

  • 1 x Capacitor Eletrolítico 100uF

 

O que é Arduino?

Arduino, é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, a qual tem origem em Wiring, e é essencialmente C/C++, objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de se usar por artistas e amadores. Principalmente para aqueles que não teriam alcance aos controladores mais sofisticados e de ferramentas mais complicadas.

Pode ser usado para o desenvolvimento de objetos interativos independentes, ou ainda para ser conectado a um computador hospedeiro. Uma típica placa Arduino é composta por um controlador, algumas linhas de E/S digital e analógica, além de uma interface serial ou USB, para interligar-se ao hospedeiro, que é usado para programá-la e interagi-la em tempo real. Ela em si não possui qualquer recurso de rede, porém é comum combinar um ou mais Arduinos deste modo, usando extensões apropriadas chamadas de shields. A interface do hospedeiro é simples, podendo ser escrita em várias linguagens. A mais popular é a Processing, mas outras que podem comunicar-se com a conexão serial são: Max/MSP, Pure Data, SuperCollider, ActionScript e Java. Em 2010 foi realizado um documentário sobre a plataforma chamado Arduino: The Documentary.